Arquivo

Archive for outubro \27\UTC 2011

ENTRE ENCONTROS E DESENCONTROS!

Todos os dias temos a difícil tarefa de lidar com amarguras, bloqueios emocionais, tristezas, relacionadas à atitudes de pessoas! Um dos maiores desafios na manutenção de nossa saúde física, emocional e espiritual reside na forma como lidamos com os ressentimentos gerados pelos desencontros em nossas relações interpessoais. Em algum momento da nossa trajetória, todos nós, nos deparamos com a difícil tarefa de lidar com as amarguras em relação às atitudes e palavras de pessoas que, consciente ou inconscientemente, nos feriram ou decepcionaram.

No Evangelho de Mateus, Jesus inicia uma sessão com a seguinte frase: “Se o seu irmão pecar contra você (…)”. Diante do que é colocado, Pedro pergunta: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar o meu irmão quando ele pecar contra mim?”Jesus responde de forma simbólica, dizendo que não deveria fazê-lo somente sete vezes, mas sim, “setenta vezes sete”, conforme Mateus 18.21-22.

Ficamos  pensando o que significa perdoar “setenta vezes sete”, e nos esquecemos que o fator principal está em liberar o perdão, independentemente de quantas vezes forem necessárias, e para quem quer que seja. Normalmente partimos do pressuposto de que estas pessoas a quem devemos perdoar são conhecidas, e não do tipo que encontramos na fila do metrô, ônibus, açougue etc… São pessoas com as quais compartilhamos continuamente, amigos, familiares, irmãos na fé etc. E, ao pensarmos nessas pessoas, somos levados à constatação de três grande problemas em nosso relacionamento diário.

O primeiro deles é que nossa maior dificuldade não é lidar com desencontros ocorridos com estranhos. São pessoas que nos são caras, valiosas, e quando a crise se instala a dor é grande!

O segundo deles diz respeito ao idealismo que criamos em torno dessas pessoas que nos são próximas. Criamos uma expectativa irreal, queremos, às vezes, nos projetar nelas, esquecendo-nos de que cada pessoa é unica em sua forma de pensar e agir.

O terceiro problema aponta para a forma como trabalhamos esses nossos relacionamentos. Sempre atribuímos maior valor à última atitude ou palavra da pessoa, sem levarmos em conta o crédito que tal pessoa já tenha conosco, acumulado em muitos anos de convivência. Ou seja, não importa o que foi construído com muito suor e sacrifício, agimos como se ele(a) fosse para nós um inimigo, e isto é totalmente nocivo.

Aprendemos com Jesus que: Deus amou, perdoou e deu Seu filho para morrer por nós, que antes éramos inimigos da cruz. Aprendemos também que, o perdão é uma decisão consciente, espontânea que brota dentro de nós. É uma decisão que tomamos de assumir prejuízos gerados pelo ofensor, abrindo mão de toda e qualquer cobrança.

Perdoar, não é como muitos dizem esquecer o que aconteceu, como se nada tivesse acontecido. Perdoar é lembrar do fato acontecido, sem que haja qualquer rancor, ódio, tristeza, mágoa em nossos corações!

Entre encontros de desencontros, aprendamos com Jesus a Arte de perdoar!

Anúncios
Categorias:Mensagem

OS “DESIGREJADOS” QUEM SÃO?

Estamos vivendo um momento complexo e sui generis da história da Igreja cristã evangélica! E, a cada dia que passa cresce o número de pessoas sem igreja! A Igreja institucional e organizada está hoje no centro de acirradas discussões tanto dentro como fora do seu contexto. O surgimento de milhares de denominações evangélicas, o poderio apostólico de igrejas neo-pentecostais,a institucionalização e secularização das denominações históricas (Batistas, Presbiterianos, Metodistas, Congregacionais), a profissionalização do ministério pastoral( li aturdido a um anúncio na internet de determinada denominação, promovendo seleção para obreiros, cujo salário estaria em torno de oito mil reais, além de outros benefícios), a variedade infindável de métodos de crescimento de igrejas, de sucesso pastoral, os escândalos ocorridos nas igrejas, a falta de crescimento das igrejas tradicionais, o fracasso das igrejas emergentes- tudo isto tem levado muitos a se desencantarem com a igreja institucional e organizada. Alguns simplesmente abandonaram a igreja e a fé. Mas outros, querem abandonar apenas a igreja e manter a fé, como se isso fosse possível! Outros, além de não frequentarem mais igrejas tomaram a bandeira e passaram a defender abertamente o fracasso total da igreja organizada, a necessidade de sairmos da igreja para podermos encontrar a Deus. Estas idéias vem sendo veiculadas através de livros, palestras e da mídia. Viraram um movimento que cresce a cada dia, e são os “Desigrejados”!

O que eles defendem?

1-Cristo não deixou qualquer forma de igreja organizada e intitucional.

2-Nos primeiros séculos os cristãos afastaram-se dos ensinos de Jesus organizando-se em instituição, a Igreja, criando estruturas, inventando hierarquias para substituir os carismas.

3-Mesmo com a Reforma, os cristãos continuaram a cometer os mesmos erros ao criar denominações.

4-A verdadeira igreja não tem templos, cultos regulares aos domingos, tesouraria, hierarquia, oficios, ofertas, clero, confissão de fé etc.

Enfim, muito embora eles tenham razão em alguns pontos, é bom lembrarmos, que Jesus teve apenas três anos e seis meses para desenvolver o Seu Ministério, e não estava preocupado, ou tinha tempo para pensar na Igreja Organizada, e sim, em expandir ao máximo o Reino de Deus. Fato é que, os irmãos já se reuniam nas casas e nas margens dos rios para celebrar a Jesus. Com a vinda do Apóstolo Paulo, Igrejas foram organizadas, partindo de Jerusalém, chegando a Europa e Ásia.

Parece-nos que a revolta dos “desigrejados” não é contra a Instituição Igreja, mas sim contra qualquer coisa que imponha limites ou restrições à sua maneira de pensar e agir. Talvez, sem Igreja, fiquem livres para pensar da forma que quiserem, crerem no que quiserem, sendo livres pensadores sem conclusões definidas, fazerem o que quiserem, para poder experimentar de tudo na vida sem penalizações e correções.

Jesus deixou claro aos discípulos que sua igreja seria edificada sobre a declaração de Pedro, que Ele era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mt 16.15-19). Tudo o que se desvia dessa verdade que a divindade é exclusividade da Pessoa de Jesus, não é Igreja cristã.

Quando Jesus fala sobre a videira; sobre a relação entre a cabeça e o corpo (Ef. 1.22-23); e entre o edifício e a pedra sobre o qual ele se assenta (1 Pe 2.4-8); marido e mulher; Igreja e noiva etc. está falando sobre instituição, comunhão, compartilhamento, empatia, altruísmo etc.

Jesus ordenou, também, que seus discípulos se reunissem regularmente para repartir o pão e o vinho.

No final, a conclusão que chegamos nesse breve artigo é que os “desigrejados” não são contra a Igreja organizada meramente porque desejam uma forma mais pura de cristianísmo, mais próxima da forma original, pois esta forma original já nasceu organizada e estruturada, nos Evangelhos e no restante do Novo Testamento.

O que realmente eles querem é “liberdade” para acreditar no que quiserem, viver do jeito que quiserem e acham correto, guardando mágoas, rancores de pessoas que lhes fizeram algo, dentro da Instituição.

Postado por Pr.Silvio Hirota, 17/10/2011.

Categorias:Mensagem

O que estamos fazendo com as nossas vidas?

Estamos nos encaminhando para o término de mais um ano! E, parece-nos que eles estão passando cada vez mais velozes! Aliás, a Bíblia na sua sabedoria já dizia: “… O TEMPO PASSA E NÓS VOAMOS”! Uma verdade absoluta que não pode ser contestada. Mais uma coisa requer reflexão da nossa parte: O que fizemos com as nossas vidas no ano que está chegando ao fim? Alguém responderia: “Este ano foi maravilhoso para mim em todos os sentidos”; outro diria, com todo o respeito aos meus amigos:”este ano está sendo uma droga”, na escola, no trabalho, nas finanças, na família, no amor etc. Teríamos e sempre teremos respostas antagônicas, de felicidade e de tristeza, de projetos realizados e frustrações, de amor e ódio! E , esta inquietação sempre estará no coração do ser humano. O grande sábio Salomão escreveu que há tempo para todo o propósito debaixo do sol: “tempo para abraçar e deixar de abraçar, juntas pedras, e separar pedras, de nascer e de morrer” etc…Na sua sapiência ele tinha conhecimento de que esta verdade e realidade que ele já vivia no seu tempo, se estenderia e com maior intensidade com o passar do tempo. Então, me veio à mente uma frase que não sei se li, ou se criei, de que: “A VIDA PARA SER BEM VIVIDA PRECISA ESTAR ENVOLVIDA NA VIDA DAQUELE QUE DEU A VIDA!” (JESUS).

Creio, que temos condições de mudar esta realidade se nós quisermos. Porque a Bíblia também diz: “O QUE O HOMEM SEMEAR IRÁ COLHER”. A pergunta é: Estamos nós semeando adequadamente para colhermos bons frutos? Mesmo que eles não sejam imediatos, estamos nós facilitando, para que a nossa vida e do nosso semelhante seja melhor? Ou, estamos sendo egoístas pensando em nós mesmos?

Disse o poeta John Donne , no século 16. Cada ser humano que morre deixa o planeta mais pobre! E, nós que estamos vivos, estamos vivendo a vida com a intensidade que ela merece, uma vez que nós é dada como dádiva de Deus? Estamos sendo sábios ao administrá-la? Estamos plantando bem? Estamos investindo na nossa saúde? Estamos cuidando do estresse contínuo, que provavelmente desembocará em uma depressão?

E, finalmente, estamos nós parando para ouvir Deus falar conosco e tirando tempo para cultuá-lo? Estamos observando o trinômio que reputo como fundamental para fazer a vida valer a pena, ouse seja: DEUS/FAMÍLIA/IGREJA?

Que Deus nos ajude a sermos melhores, produzirmos mais e melhor, desenvolvermos uma vida com mais qualidade, amarmos e sermos amados, e sempre nos lembrarmos da frase que acima citei: ” A VIDA PARA SER BEM VIVIDA PRECISA ESTAR ENVOLVIDA NA VIDA DAQUELE QUE DEU A VIDA! ”

Postado por Pr.Silvio Hirota, 14/10/2011.

Categorias:Mensagem

QUE MOTIVOS TEMOS PARA COMEMORAR O DIA DAS CRIANÇAS?

Infelizmente chegamos a conclusão que não temos absolutamente nada para comemorar no dia chamado “das crianças”!

Diríamos que em todo o mundo, sempre as crianças foram relegadas a um plano inferior, secundário. Poucas são as nações do mundo que verdadeiramente se preocupam com suas crianças! Elas estão morrendo de fome em muitas parte do mundo, inclusive no Brasil. As verbas destinas à educação das crianças “que amamos”, são desviadas para atender as falcatruas políticas. Outras crianças são quase escravizadas pelos seus pseudos- pais que as obrigam a ir para a ruas e conseguir o que puderem, para atender não as necessidades do lar mas desses bandos de “safados” aproveitadores de crianças. O que dizer então da prostituição infantil, muitas vezes, incentivadas pelos próprios pais, alem daquelas pobres crianças que são maltratadas no lares, estupradas, destruídas…Crescerão cheias de traumas e bloqueios emocionais, e não serão adultos “normais”.

Quando olhamos para uma criança lembramo-nos do que Jesus falou sobre elas: “porque dos tais é o reino de Deus”; “quem não se tornar como uma delas, jamais herdará o reino dos céus”! A pergunta que não cala é a seguinte: Como iremos prestar contas a Deus das nossas crianças abandonadas, maltratadas, marginalizadas, iludidas etc., Não teremos argumentos justificativos, nem tampouco desculpas para tais questionamentos. Ficamos pasmos quando vemos pela televisão, internet, jornais, revistas, a forma como os “pequeninos”são tratados. Não somente os pobres, mas também os ricos, que são criados por “pais- postiços”, porque os de verdade são demasiadamente ocupados e não tem tempo para seus filhos! Terão sim, quando tiverem que tirá-los das cadeias, porque cresceram sem referências paternas, e foram influenciados por más companhias.

Que motivos temos para comemorar o dia das crianças? Eu diria que nenhum! E , com o passar do tempo esta data comercial irá esvair-se até desaparecer.

Você que tem um filho pequeno, que está debaixo do seu teto e cuidados, preste atenção na relação que você tem com eles; o tempo investido neles; a educação que tem passado, não digo a pedagógica, das escolas, mas a mais importante a do lar, do exemplo de pais, formadores de opinião e que sempre devem ser modelos, para que as crianças tenham caráter, e cresçam como cidadãos úteis, para a família, Igreja e sociedade. Que Deus tenha misericórdia de nós pais!

Postado por Pr.Silvio Hirota, 08/10/2011

Categorias:Mensagem

POR QUEM OS SINOS DOBRAM?

De Nova York à Austrália, fãs da tecnologia e dos computadores compareceram a lojas Apple do mundo todo para homenagear Steve Jobs, destacando o seu caráter visionário que transformou o cotidiano de milhões de pessoas.Na sede da empresa que Jobs fundou em 1976 — na Infinite Loop, 1, Cupertino, Califórnia –, bandeiras tremulavam a meio mastro e muita gente se reuniu num gramado próximo após a morte de Jobs, na quarta-feira (5). Abalados, fãs da Apple deixavam flores, e um homem tocava gaita de fole.”Na minha cabeça, não existe diferença entre ele e Pasteur”, disse Chitra Abdolzadeh, que trabalha no setor da saúde em Cupertino, numa referência ao ilustre químico francês.Ben Chess, de 29 anos, engenheiro em uma empresa de Internet e ex-estagiário da Apple, viajou depois do expediente de trabalho de San Francisco até o QG (quartel general) da Apple para deixar um ramo de flores. “É a coisa certa a fazer”, disse.Jobs, que morreu aos 56 anos, revolucionou a maneira como os usuários navegam na internet ao lhes dar o iPod, o iPhone e o iPad. Ele havia deixado em agosto o comando da empresa, a maior do mundo no setor de tecnologia.
O poeta John Donne, que viveu no século 16 respondeu a esta pergunta de uma forma muito sábia e criativa. Ele disse: “Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.
Cada dia o mundo está ficando mais pobre, porque pessoas do naipe de Steve Jobs, e de tantos outros que trouxeram tanta contribuição para a “evolução”da raça humana estão desaparecendo!
E assim a Bíblia se cumpre: ” E o pó volto ao pó de onde era e o espírito volte a Deus que o deu”.
Postado por Pr. Silvio Hirota, 06/10/2011

Categorias:Mensagem

O valor de uma abraço!

Estou eu no centro de Tokyo, caminhando para pegar o metrô, extremamente lotado, mas super organizado. Afinal é primeiro mundo, e temos que respeitar!
Quando adentro o trem, vejo pessoas de todas as classes sociais, desde Diretores, Profissionais Liberais, trabalhadores de todas as áreas e classes sociais!
O silêncio é sepucral! Ao meu lado uma jovem lê, outro senhor à minha frente, e até quem está de pé, arrisca uma leitura! Muitos irão para casa, outros como é comum para o Happy hour, mas nesse momento eu sinto, a vontade de abraçar e ser abraçado! Mas quem irei abraçar, pois não conheço ninguém, e lembro da minha Terra, onde o abraço sai fácil, povo amistoso e de fácil comunicação. lembro dos meus queridos e a vontade aumenta, de abraçar e ser abraçado, mas tem o Pacífico entre nós!
Nunca senti tamanha necessidade de receber um abraço, carinhoso, afetuoso, amoro… Enfim, fico comigo a pensar quanto vale um abraço, e como gostaria de dar!
Muitas vezes estamos tão perto, de pessoas tão amadas, a quem poderíamos abraçar, mas não o fazemos. Seja por inibição, por tabus ou malicia, perdemos a oportunidade de expressar um carinho especial através de um fraterno abraço!
Não percamos a oportunidade, de as pessoas amadas abraçar, porque um dia teremos vontade, mas não as teremos mais ao nosso lado.
Abrace e seja abraçado, porque um abraço de coração, dado por alguém especial tem pra nós muito valor!
Postado por Pr.Silvio Hirota, 04/10.2011

Categorias:Mensagem