Arquivo

Posts Tagged ‘aceitação’

O ABORTO DO PONTO DE VISTA BÍBLICO!

Para este assunto, tomamos como base bíblica o texto de Isaías 49.1-5.
A Bíblia não aborda o assunto dentro dos seus aspectos modernos. Encontramos alguns textos falando do aborto, mas num sentido mais natural. No original hebraico e grego, a palavra tem o sentido de “cair”, especialmente em : Jó 3.16; 21.10; Sl. 58.8 e Ec. 6.3.

Paulo usa o termo de forma figurativa em I Cor 15.8, quando ele se considera como um “fora de tempo” ou “fora de linha” em relação aos demais apóstolos. O ponto de vista bíblico fundamenta-se no conceito de quando começa a vida. Uma vez que a ciência tem definido que a vida começa com a concepção, temos elementos definidos para busca do conceito bíblico sobre o tema.

A Bíblia diz que Deus forma o espírito do homem, dentro dele (Zc 12.1). A ciência não discute a questão do espírito na vida, mas a teologia entende que a vida está ligada ao espírito do ser humano. Os maiores intérpretes das escrituras, independente de tantas teorias, sobre a formação da vida e do espírito no ser humano, entendem que o espírito do homem surge no momento da concepção; assim sendo, ciência e teologia então de acordo neste ponto.

No Sl.139.13-16, Davi fala que Deus possuiu os seus rins, acompanhou-o no ventre de sua mãe e que Deus viu seu corpo ainda sem forma; isto é uma indicação de que já havia vida.
O texto de Jeremias 1.4-5, fala da vida no útero, sendo conhecida por Deus, e com planos definidos para o futuro, principalmente nos objetivos de Deus.
Lucas 1.15 diz que João Batista seria cheio do espírito desde o ventre de sua mãe. Lucas era um médico inspirado por Deus, por isso escreveu estas palavras. Isto significa que Deus trabalha a partir de um feto.
Quando Maria visitou Isabel que também estava grávida, o nascituro João Batista saltou de alegria dentro do ventre de Isabel.

O valor da fundamentação bíblica para os dias atuais:
Para situarmos a nossa posição a partir da Bíblia, temos que considerar os aspectos da vida e não somente os sociais e éticos. À luz dos textos acima mencionados, não temos como aprovar o aborto, pois atenta contra a própria vida e, somente Deus pode decidir sobre a vida de alguém! É Ele quem dá a vida e quem também a tira!

Em I Sm. 2.6 “O Senhor mata e preserva a vida; Ele faz descer à sepultura e dela resgata”.
Nos EUA, onde o aborto é legalizado, dentro de certos limites, temos conhecimento de que o povo evangélico usa e abusa dessa prerrogativa. Nesse aspecto a Igreja Católica é totalmente contrária ao aborto, e devemos louvar tal atitude.

No Brasil, como se sabe, o aborto está limitado a dois casos:
É tipificado como crime contra a vida, pelo Código Penal Brasileiro, prevendo detenção de 1 a 10 anos, de acordo com a situação.

O artigo 128 do Código Penal dispõe que não se pune o crime de aborto nas seguintes hipóteses:
– quando não há outro meio para salvar a vida da mãe;
– quando a gravidez resulta de estupro.
Segundo juristas, a “não punição” não necessariamente deve ser interpretada como exceção à natureza criminosa do ato. O artigo 2º do Código Civil Brasileiro estabelece, desde a concepção, a proteção jurídica aos direitos do nascituro, e o artigo 7º do Estatuto da Criança e do Adolescente dispõe que a criança nascitura tem direito à vida, mediante a efetivação de políticas públicas que permitam o nascimento.

A exceção é válida quanto o aborto for proveniente de estupro ou violência sexual. Apesar da lei brasileira favorecer o feito, podemos sobrepor com o princípio bíblico da vida e deixar viver o feto, nem que seja para, após o nascimento, partir para uma adoção, como muitos tem feito.

Conclusão: se quem dá e tira a vida é Deus, não posso ser juiz. Se uma gravidez indesejada ocorrer não de forma natural, mas por violência, ainda assim vale o preceito bíblico de que o feto tem o espírito e todas as características do sopro de vida dado por Deus. E se Deus não quiser que a criança nasça, o aborto será natural. Em Êxodo 20.13 está escrito um dos dez mandamentos: “não matarás!”

Por Pr.Silvio Hirota,
Em 17/10/2010

Anúncios

OS PENSAMENTOS DE DEUS NÃO SÃO OS NOSSOS!

 

 

Encontramos esta afirmação no texto do Profeta Isaías, capitulo 55. Deus mesmo afirma os seguinte: “Os meus pensamentos não são como os seus pensamentos e eu não ajo como vocês”. Ele faz uma comparação simbólica, mostrando que a diferença entre os pensamentos, estaria na mesma proporção da distância entre o Céu e a Terra.

Diríamos que os pensamentos de Deus são tão profundos, tão elevados e tão frutíferos, que jamais conseguiremos alcançá-los! Dentro do Seu pensar está: Ele sabe o que eu preciso, quando preciso e porque preciso!

Lamentavelmente, ouvimos coisas absurdas, do tipo: “Determina que Deus é obrigado a te atender!” Que afirmação absurda, esdrúxula!!! Como eu, ser humano limitado, criatura de Deus, que vivo em função da misericórdia desse Deus Poderoso, posso exigir alguma coisa dEle? Somos fruto da graça misericordiosa de Deus, e devemos ser gratos eternamente por tudo aquilo que temos recebido das Suas mãos!

O mesmo capítulo afirma que não percebemos a queda da chuva e da neve, que caem suavemente sobre a Terra, e não voltam à atmosfera, em forma de vapor, antes de cumprirem os propósitos de Deus que é o de regar a Terra.

Somos totalmente incapazes de compreender a complexidade da mente de Deus; como os Seus decretos são irrevogáveis, eu tenho mais é que, como ser humano, e filho de Deus, ficar em atitude de submissão e obediência à Sua vontade, dando graças sempre por todas as coisas, falando sempre bem de Deus!

Postado por Pr. Silvio Hirota,
Em 19/08/2010

PSICOLOGIA DO ENVELHECIMENTO!

 

 

(Imagens Google)

Quando chegamos a uma determinada idade é inevitável vir à nossa mente alguns questionamentos como:

Estou preparado para envelhecer?

Como vou me encarar na Terceira idade?

Quais dificuldades terei, uma vez que fico observando a vida de outras pessoas idosas?!!!!!

Essas e outras perguntas fazem parte dos nossos questionamentos existenciais dos quais não podemos fugir;  muitas vezes, buscamos respostas e não as encontramos.

Certo escritor disse:
“É a velhice uma etapa do desenvolvimento individual, cuja característica principal é a de acentuada perda da capacidade de adaptação, com diminuição da vitalidade e aumento da vulnerabilidade de todas as funções do indivíduo”. Ele cita ainda Beauvoir:” A velhice não é um acidente mecânico tal qual a morte, parecendo que cada organismo contém logo de saída sua velhice, consequência inevitável de sua evolução”.
A Bíblia nos fala da velhice como algo importante, porem, não fácil de ser assimilada! Salomão o sábio, que viveu uma vida boa do ponto de vista humano, escreve no Livro de Eclesiastes que deveríamos estar preparados para enfrentar as adversidades da melhor idade. Eclesisastes 12.1-8, nos mostra características pertinentes a esse período do qual, talvez um dia, todos nós enfrentaremos!
Agora, o que importa é sabermos, que podemos contar com Deus nas nossas vidas quando essa melhor idade chegar!

Imagem do Acervo Saber

Postado por Pr. Silvio Hirota,
em 17/0602010.

“E CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ” (Jesus Cristo)

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará!”  E o que vem a ser verdade?

As palavras citadas acima são de Jesus! E, esta verdade só pode ser entendida e compreendida à luz da Pessoa de Jesus Cristo! Esta expressão “verdade”, parece-nos uma utopia nos dias de hoje!

Segundo o dicionário, “verdade” é a qualidade pela qual as coisas se apresentam como realmente são: veracidade, autenticidade, exatidão, representação fiel, etc.

Vemos grassar a inverdade, a falsidade, a maledicência, os falsos idealismos! Ficamos nos perguntando, se a palavra palavra “verdade” ainda tem algum sentido para a maioria das pessoas? Vivemos em um país onde “o importante é levar vantagem”, independentemente dos meios pelos quais a vantagem pretendida foi alcançada.

Observamos no campo social, nas empresas, nas Instituições Religiosas etc. Jesus disse, que era preciso conhecer a verdade!

O que significa conhecer? Vamos novamente ao dicionário, onde encontramos os seguintes significados: saber, estar convicto de, reconhecer, ter relações com, etc. Pelo fato de não se “conhecer” não “ter convicção”, ou simplesmente ignorar o significado da verdade, é que a sociedade está chafurdada num lamançal sem fim!

Instituiçõe falidas, pessoas desacreditadas, desonestidade grassando em todos os meios e por todos os meios! Ficamos as vezes a pensar: “Tenho vergonha de ser brasileiro!” Mas, ao olharmos no sentido vertical e não mais horizontal, percebemos que ainda vale a pena ser verdadeiro, falar e viver a verdade. Isto porque, se quem nos disse foi Jesus, e Ele realmente foi um vencedor, então, sejamos livres, ao conhecermos a Verdade que é Jesus, e esta verdade nos levará em triunfo!

Postado por Pr.Silvio Hirota,
em 07/06/2010.

Perdão. Uma nobre atitude!

“NUNCA A ALMA HUMANA SURGE TÃO FORTE E NOBRE, COMO QUANDO RENUNCIA A VINGANÇA E OUSA PERDOAR UMA OFENSA!”  (Desconheço o Autor)

Vivemos momentos difíceis do ponto de vista das relações humanas!

O ódio torna-se cada vez mais comum no dia a dia!

A palavra perdão, não existia no vocabulário grego, isto porque eles se sentiam superiores demais para rebaixar-se ao ponto de usá-la.

Mas, a Bíblia Sagrada nos mostra em suas páginas, que se não fosse o amor de Deus, através do perdão que nos foi dado por Jesus Cristo na Cruz do Calvário, não conheceríamos a Verdade que nos libertou!

Alguém escreveu: “A medida do amor é amar sem medida”.

Amar significa perdoar, aceitar, relevar etc.

Pratiquemos como cristãos a arte de perdoar!

 
Postado por Silvio Hirota 
de 10 a 19/05/2010